quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Agora compreende mais que nunca

que só na arte a beleza é imortal. 
Canta-lhe na cabeça o verso de Keats: "A thing of beauty is a joy for ever"
Na verdadeira arte nada morre. A mocidade e o encantamento se renovam perpetuamente: e a eterna luminosidade, a eterna graça.

Érico Verissimo