quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

És presença

E, mesmo quando és ausência és muito mais do que saudade. És vontade de ver 
de novo, de ver mais, de ver mais de perto, ver melhor
E tocar, de modo que, cada toque, eu tenha 
um pouco mais de ti 
em mim, para que não haja mais ausência. 
Te encontrar virou apenas 
uma questão de fechar os olhos. Tenho confundido 'eu' com 'nós'. 
Mas essa confusão só me acontece porque 
eu tenho certeza de tudo que eu sinto. 
E o que eu sinto é o tal do amor.
Aquele surrado, mal-falado, desacreditado e raro amor, que eu 
achava que não existia mais. 
Pois existe. E arrebata, atropela, derruba, o violento surto 
de felicidade causado pelo simples vislumbre do teu rosto.

Lucas Silveira