segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Vanessa da Mata

 "Mas nós somos um quadro de Klimt, O beijo para sempre, fagulhando em cores resistindo a tudo seremos dois velhos felizes de mãos dadas numa tarde de sol pra sempre"

 Eu acho que todo mundo deve conhecer a Vanessa da Mata, ela não é estranha pra ninguém. Sim você já deve ter ouvido, lido, visto algo sobre ela. Aqui em casa ela é uma querida, aprendi a gostar dela com a minha mãe. Por muito tempo eu fui bem rabugenta com música, agora não sou tanto. A gente passa a classificar música entre boa e ruim e não mais com rótulos. Pois é, assim é bem melhor, já tentaram ouvir coisas que antes você não gostava? Se não, fica a minha dica pra ser seguida.

Pois bem, hoje de manhã, como de costume tomei café e li o jornal - Sim, eu leio o jornal, pelo menos só os cadernos que me interessam, o de cultura, o de esporte e os destaques quando acho conveniente - E estava la, uma foto linda da Vanessa ilustrando a matéria sobre o CD novo dela que por sinal deve ser uma gracinha.
Você é do tipo que escolhe livros, filmes e as vezes bandas, pelo nome? Eu sou assim, logo, 'Bicicletas, bolos e outras alegrias' me agradou bastante.
"Inspirado nos tempos de criança, na vida do interior e nas ingenuidades do século passado, o álbum lança frescor, com uma roupagem sono moderna e criativa, aos tempos das brincadeiras de rua, dos bolos de fubá das avós e da descoberta do amor.Ainda, nas 12 faixas que compõem a obra, a cantora lança mão de prováveis hits amorosos e faz críticas à vida na cidade grande, com a costumeira falta de tempo para a felicidade e o excessivo consumismo"
                                                                                       (Diário do Grande ABC)
Logo, a gente, só pode esperar coisas boas da Vanessa. Música boa essa guria Mato Grossense de 34 anos sabe fazer e muito bem, na minha humilde e talvez dúvidosa opinião.