quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Doce Infância [Parte 1]

É, eu sei, o dia das crianças ja passou e eu não postei nada, mas, que não seja por isso. A Jay postou uma montagem no Página Mestra de todos os amigos/conhecidos que postaram suas fotos de criança no twitter, e eu estou la. Quando entrei la fiquei uns 20 minutos ou mais olhando pra montagem, todas aquelas criaturas na melhor fase de suas vidas. Me bateu uma saudade, que chegou a doer no peito. Minha infância foi um pouquinho perturbada no no de 1999 quando o meu pai morreu, ja falei tantas vezes disso aqui, perdi a conta. Mas enfim, eu resolvi fazer um post com fotos da minha infância, não sei porque não tive essa ideia antes. Como podem ter visto o post vai ter que ser dividido em duas partes ou mais. So here we go!


Esse é meu pai Fábio. Minha mãe diz que ele gostava de me segurar assim pra eu dormir ouvindo o coração dele bater. Essa foto foi tirada na casa da minha avó em São Bernardo do Campo (minha cidade atual) É uma das fotos que eu mais gosto.

Essa é a minha mãe Luzinete. Meu pai custumava chamar ela de Lua, vivia fazendo poesias com o nome dela (A coisa mais linda) Essa foto se não me engano, foi tirada pelo meu pai e a gente morava em Taboão da Serra (Cidade em que moram a maioria dos meus parentes maternos) Minha mãe conta que quando meu pai tirou essa foto eu tava treinando a minha teimosia (minha especialidade) Ela dizia pra eu não abrir a gaveta, e eu me esticava toda pra abrir e fazia essa cara linda de anjo aí.

Essa é a minha avó paterna Carmen Maria. To pra ver avó mais babona que ela. Admiro muito minha avó, por tudo que ela passou no Rio Grande do Sul quanto aqui em São Paulo. Minha avó é a pessoa mais paciente que eu ja conheci na vida, não consigo entender de onde vem toda essa calma. Ela tem toda a determinação que eu gostaria de ter.

Essa é a minha meia irmã Petiana. Minha mãe diz que o nome dela significa 'pequena Ana' (petit, no francês é pequena/pequeno +  Ana) Bom, segundo as histórias que eu ouço, a minha irmã teve muito ciúme de mim e até fugiu de casa. Ainda bem que os tempos passaram, e hoje não vivemos uma sem a outra, nos falamos todos os dias pelo telefone. Ela é a pessoa que mais puxa minha orelha em relação a trabalho e estudo. Essa foto foi tirada na minha primeira viagem pro Rio Grande do Sul, eu tinha dois anos.

 Coisa linda, não? Meu primeiro aniversário foi da turma da Mônica. Tenho os convites até hoje, uma gracinha riri. Eu e minha motoca, presente da minha madrinha. E falando em motoca, elas ainda existem?

Eu devia ter uns 3 anos nessa foto. Estava eu no meu momento Marilyn hihi. Esse lugar bonito aí é em frente da estação Conceição do Metrô, eu adorava ir olhar os patinhos desse laguinho aí, as vezes eu ia la jogar uns pedacinhos de pão pra eles. Hoje em dia, é claro, não tem mais pato. Lugarsinho inesquecível esse,sempre que vou pra casa da minha avó em Taboão da Serra, eu fico olhando o laguinho.

Sim, eu estava dentro do guarda roupas. Meu pai teve esse brilhante ideia de me botar de castigo la (brincadeira, rs) Eu adorava fica lar, não sei explicar o porque hihi. Destaque para a camiseta do Internacional (Desculpa pai, mas não era esse o caminho a seguir)

Meu 5º aniversário foi na casa do meu tio Marco que nessa época morava no bairro lindo da Liberdade, vai ver foi aí que comecei a desenvolver a adoração pelo Japão. Lembro que todo mundo da família estava presente, ainda bem que o apartamento era grande se não ia ser um desastre total.


TO BE CONTINUED...