segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Pullovers

 "O mundo é dos estranhos. Se for um estranho apaixonado, então sorte dos espectadores. Espere as declarações mais inusitadas, as ações mais exaltadas, o amor mais intenso e sem convenções. E se o apaixonado for um membro do Pullovers querendo ser correspondido, espere também pelas melhores canções de amor." 
Bruno Yutaka Saito

Ja faz um tempinho que conheço pullovers, descubri a banda num blog de downloads (não me lembro no me agora). Fiz o download do album mais recente "Tudo que eu sempre sonhei" (2008) a princípio ouvi uma ou duas vezes e acabei esquecendo num canto, voltei a ouvir faz umas semanas e magicamente o amor acendeu no meu peito.

Pullovers não é só mais uma banda paulistana. É a banda paulistana que tem São Paulo nas letras, o que ao meu ver, não é muito comum, e por esse motivo encanta. O Pullovers se diferencia de todas as outras bandas paulistanas porque: usam e abusam de teclado, violino e violoncelo nas músicas dando um outro ritmo pra música; tratam o amor como algo essêncial e as letras sempre me lembram de algo da minha infância.

Ultimamente, tem sido difícil encontrar a Brasilidade nas bandas nacionais, o Pullovers tem essa brasilidade nas músicas. Uma música que define a própria banda é "O amor verdadeiro não tem vista para o mar" pra eles o amor acontece no cinza do céu, no asfalto, na selva de pedra. O amor por São Paulo foi o que mais me chamou a atenção, confesso. Todo mundo sabe que sou apaixonada pela minha cidade. Amo cada rua, cada esquina, cada cantinho, cada guarda chuva colorido correndo pra dentro das estações de metrô, o cinza do céu de todos os dias... É, não tenha dúvida de que eu amo essa loucura toda.

Dúvido encontrar banda mais Paulistana que essa, dú-vi-do!