quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Tanto faz

Eu cheguei a um ponto da minha vida que tanto faz. Tanto faz o sol ou a chuva, tanto faz se conseguirei me formar ou não, tanto faz se é quente ou se é frio, tanto faz que se iportem ou não comigo, tanto faz dormir ou não.
Eu não tenho mais paciência pra escolhas, eu não tenho mais pique pra nada, inclusive pra vida. Me sinto obrigada a continuar nesses dias iguais.
Podem acontecer uma coisa ou outra, mas sempre volta a igualdade cinza de antes. É impressionante o tamanho da minha inocência de acreditar que alguém possa querer zelar por mim, por mais que eu deteste dar essas obrigações as pessoas. Mas veja bem, quem é que vai perder tempo com uma desesperançosa como eu? E por mais que tenha sera que eu quero que percam tempo comigo? Tempo é uma coisa muito, muito preciosa pra quem não esta na fase do tanto faz. As pessoas podem optar por esperar umas as outras, mas o tempo, ele não espera, ele anda. Se alimenta de segundo em segundo pra completar uma hora cheia, uma hora redonda, uma exatidão que eu particularmente invejo, pois foi exatamente o que me faltou durante todos esses anos.
Tanto faz se quiserem o meu bem ou o meu mal, tanto faz se quiserem me animar, tanto faz o silêncio dentro ou fora de mim, tanto faz quanto tempo vai durar essa minha fase “tanto faz” e tanto faz se isso é fase ou se não.