domingo, 11 de julho de 2010

Controle - A História de Ian Curtis

Como boa amante de rock n' roll já venho a um tempo a procura de filmes que tratem do assunto, até que em um belo dia descobri Controle - A história de Ian Curtis fui procurar pelo trailer e me apaixonei instantaneamente.
Eu encontrei o filme pra download, baixei e assisti. Conclusão: Ele é tudo aquilo que eu tinha esperado e mais um pouco.

Ian Kevin Curtis foi o vocalista da Joy Division, banda formada em 1976 na Inglaterra. Quando ainda era jovem já mostrava talento com a poesia. Ian era epilético, muitas vezes sofrerá com os ataques em meio a apresentação da banda, os fãs só não percebiam que era um ataque pela forma com Ian dançava no palco.
Ian vivia sob pressão com as turnês da banda, a doença, o casamento mal pensado, a filha pequena que tinha e o caso extra conjugal que teve com a jornalista Annik, talvez esses problemas tenham motivado Ian a cometer suicídio no ano de 1980.

É difícil pra mim descrever o que é esse filme, é preciso assistir pra entender o que se passa agora. O filme é do tipo de filme que te faz ficar olhando pra tela da tv como se ainda existisse filme, te faz ficar imóvel na cadeira esperando não se sabe pelo que. Até parece que o cinza do filme sai pela tela da televisão e preenche cada pequeno buraco que tem dentro de você, como fumaça de cigarro.
É impossível não perceber que depois do filme as músicas não são as mesmas, é fácil sentir o Ian vivo em cada melodia, em cada verso em cada palavra ainda mais quando elas tomam conta da sua cabeça.
"Controle" é a perfeita mistura entre a melancolia, as reflexões incompreendidas de Ian Curtis, o amor e suas tortuosas consequências. É a definição 'bonita' do cinza dos dias, da vida e da morte.



Resultados: Um interesse musical ainda maior pelo Joy
                  Uma visão completamente diferente sobre as coisas
                  Uma cabeça lotada de pensamentos
                  Um amor pelo Sam Riley 
                  Uma admiração galaxial(?) pelo Ian Curtis