terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Clarah Averbuck e sua máquina de pinball

Quando eu prometo eu cumpro, ca estou eu de novo pra falar do BENDITO livro da Clarah Averbuck. Esses dias um amigo meu (Ander) me mostrou um site interessante, o skoob, la você tem uma espécie de estante, você pode marcar os livros com status (lido, lendo, vai ler) da até pra fazer trocas por la (não fiz, mas pretendo). Procurando por um livro da Diablo Cody () encontrei o da Clarah Averbuck, gostei do nome do livro "Máqina de Pinball" pensei: "o que sera que ela conta?" Segue a sinopse:
"Neste livro a autora, Clarah Averbuck, narra a história de Camila, que não tem dinheiro, namorado, televisão nem comida e mora em São Paulo, onde não tem muita sorte. Decide ir para Londres ver os Strokes, enchendo-se de dívidas. A vida lá também não é fácil, resolve voltar, se apaixona, se decepciona, bebe, e mesmo assim consegue rir da própria desgraça enquanto ouve boa música e bebe vodka barata."
Adorei! Tive que compartilhar isso com alguem e foi pro Daniel que eu contei. De tarde a surpresa
- Baxei o livro da Clarah!
Descubri que detesto baxar livros na internet, isso desde a minha tentativa de ler Coraline do Neil Gaiman, mas o tédio tomou conta de mim no final da tarde e resolvi procurar o livro pra ler só um pouquinho e TÃNÃN! Quando fui ver tinha acabado de ler o livro. Simplesmente adorei, a Clarah escreveu com uma linguagem direta, jovem sabe, vai ver por isso que gostei tanto, tenho quase certeza de que se esse livro fosse escrito de outra forma eu não iria gostar. Foi tão empolgante que do primeiro verso até a ultima palavra eu li o livro em voz alta haha. Esse livro é aqueles do tipo que você le a primeira pagina e não consegue mais parar. Em muitas das situações eu me identifiquei com a Camila - ou sera Clarah? Eu nunca ri tanto lendo um livro, mentira, a ultima vez que ri lendo um livro foi quando li "O diário de Tati" da Heloisa Perissé quando eu tinha 13 anos, era realmente engraçado, mas nada comparado a ontem. Vou colocar mais um trecho do livro aqui, por mim eu colocava o livro inteiro mas isso não seria legal da minha parte né?

"Ah, o Homem Glam. Ele bebia cerveja. Eu mordia gelos porque
meu uísque e meu dinheiro tinham acabado. Ele parecia ter saído do
Maxim’s há trinta anos. Saiu de um show do New York Dolls pra dar
uma mijada na rua e acabou ali dentro. Deus existe.
Vamos lá, Camila. Think, McFly. Bole uma estratégia. Ele está bêbado,
não pode ser tão difícil. Lá vem ele. Vamos, garota, faça valer a fortuna
que custou aquele uísque barato.
– Oi.
Ahnnmmmm... Ele disse oi.
– Oooi.
Soei patética. Meu oi estragou tudo. Agora vou apelar.
– Tudo bem? Desculpe a falta de sutileza, mas você é o homem mais
sexy que já vi.
Não, eu não fiz isso. Ok, agora não pode ficar pior.
– Rá, obrigado, que vergonha... Você também é linda.
Ó, não foi tão ruim assim. Mas a gente sempre pode arruinar tudo
bem rapidinho.
– Se casássemos e tivéssemos filhos, e nossos filhos tivessem filhos,
nós seríamos glammother e glamfather.
Senhoras e senhores, conheçam a pior cantada do universo.
– Glam, é? Eu estava mesmo pensando em usar maquiagem...
Maquiagem. Ele queria usar maquiagem. Quero casar agora. Casar e
ter filhos com esse nariz lindo dele. Você entendeu. Filhos. Casar. Anjos
cantam. O mundo é lindo. Maquiagem. A única coisa mais sexy do
que uma mulher acordando com os olhos borrados de lápis preto é um
homem acordando com os olhos borrados de lápis preto. E descabelado.
Casar agora.
O Homem Glam pediu licença e desceu. Me abandonou. E isso que
eu também era linda. Claro, ele era glam e blasé, por que ficaria ali com
uma pessoa que passa cantadas deste nível? Droga. E nem dinheiro
pra encher a cara eu tinha. Pobre tem que se foder mesmo..."
 Podem me chamar de Camila agora haha. No mesmo dia comecei a procurar outros livros da Clarah e eu quero ler todos, virei uma grande fã dela. Uma inspiração talvez - Não.
Quem não aguentar de curiosidade aí vão duas dicas:
1. Pra você que tem dinheiro no porquinho, debaixo do colchão corra até a livraria mais próxima e exija o livro da Clarah
2. Pra você que é pobre, que não tem 25 centavos na carteira[like me] pode fazer o download do livro TOTALMENTE DE GRÁTIS no site da Conrad.
Seja no papel ou com a cara grudada no monitor não deixem de ler, eu garanto que não vão se arrepender. #DICONA
Beijo da Ana, agora também comparada a uma máquina de pinball.