terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Contando as novidades

Ahhh, muito tempo que não venho postar, em dias pode até não ser muitos, mas custumo dizer "muito tempo" pelo fato de ter muita coisa pra contar e não vir, ir acumulando saca?
Mas enfim, nesses ultimos dias andei na correria com as coisas pro trampo, pois é arrumei um trampo (Já era tempo não?) to bem feliz com isso, ficarei 45 dias no treinamento e depois a coisa vai complicar, vou trabalhar num restaurante e vai ser num shopping, por convivencia familiar eu bem sei como é escala de shopping, ou seja, a única coisa que eu ja adianto é que é um cu, mas é trabalho, eu preciso ganhar experiencia, preciso ter meu dinheiro e ficar parada em casa esperando os próximos vestibulares chegarem não é muito confortante. To aproveitando esses meus últimos dias de 'paz', aproveitar pra acordar tarde e tudo o mais, vou ter que madrugar *chora* nesses últimos dias não estive muito paciente com o meu computador então fiquei mais vendo televisão aproveitando que o sinal do telecine ta aberto haha, assisti ao oscar e ca entre nós pensei que o Benjamin Button ia levar uma boa parte dos trófeus, mas eu me enganei e muito, achei os prêmios de "melhor atriz" e "melhor ator coadjuvante" merecidissimos, o Heath Ledger mereceu e ca entre nós o discurso da família emocionou bastante e adorei a Kate Winslet ter ganhado, depois de 6 indicações ela tinha que ganhar, sou meia suspeita pra falar né, é uma das minhas atrizes preferidas mas fiquei bem feliz por ela.
Comecei a ler o meu livro (digo meu porque ele explica bem o motivo pelo qual meu pai me deu o meu nome) fiquei impressionada com o quanto eu e a personagem nos parecemos.

"...Vivia com medo no coração, sem nenhuma esperança de dias melhores, sem a menor alegria...Tudo isso por quê? Porque era a sua sina. Mas uma pessoa pode lutar contra a sorte que tem. Pode e deve. E agora ela tinha enterrado o pai e o irmão e ali estava, sem casa, sem amigos, sem ilusões, sem nada, mas teimando em viver. Sim, era pura teimosia. Chamava-se Ana Terra. Tinha herdado do pai o gênio de mula."


Existem bem outras partes que eu me assustei de certa forma por ver como eu me pareço com ela, e é claro não deixarei de colocar elas aqui. Érico Veríssimo cria, ao inciar O continente, um universo fechado, regido de acordo com suas próprias lei: é a fazenda de Maneco Terra. Ana Terra, sua filha, vive num isolamento atroz, encerrada em seu pequeno mundo.Quando aparece o índio Pedro Missioneiro, ela apaixona-se. Ao descobrir que a filha está grávida, o patriarca se mostra inflexível: mata o desonrador da família. Depois, quando a fazenda é assaltada por castelhanos, Ana Terra perde a propriedade, o pai e os irmãos. Está só com o seu filho. É obrigada a partir e a fazer seu próprio destino, que acabará por ligar-se à fundação da vila de Santa Fé o palco da sucessão de gerações filhas da matriarca Ana Terra, onde reina o sobrado - casarão onde vivem os detentores do poder da cidade - eterno alvo das disputas entres as famílias rivais Terra Cambará e Amaral.
Depois de um tempinho é que eu fiquei sabendo que a rede globo adaptou a história pra uma minissérie que foi ao ar em 1985, cheguei a procurar os dvds até encontrei, mas nada se compara ao livro né, só quem le sabe como é que é a mágica (:



Passei a semana inteira preocupada com o atraso da publicação de "Nana", o volume 7 parece que vai sair só em março, enquanto isso eu reli os volumes que eu comprei até agora. Ouvi muita música boa, tanto o bom e velho rock n' roll de sempre quanto coisas novas e uma das coisas que eu ouvi (a propósito estou escutando agora) foi o Black Kids eu tinha visto o video deles no mtv lab, mas até então não tinha prestado muita atenção, depois vi no sap mtv e acompanhei a letra e tudo me interessei, "I'm Not Gonna Teach Your Boyfriend How To Dance With You" é viciante de duas formas primeiro que ela entra na sua cabeça e você fica embromando o refrão o dia inteirinho até ouvir, e dai quando você ouve não para mais e segundo que você não consegue ficar com a abunda quieta na cadeira enquanto você ouve, você fica se balançando mesmo sem querer, ou seja, ela é viciante, colante e dançante e é legal, a banda é de Jacksonville (Flórida) e leva um som indie pop formada por Owen Holmes (baixo e guitarra), Kevin Snow (bateria), Dawn Watley (teclados e vocais), Ali Youngblood (teclados e vocais) e Reggie Youngblood (guitarra e vocais) enfim, eu baxei o cd mais atual deles o Partie Traumatic do ano passado e gostei do que eu ouvi e ta aqui a minha dica. Acho que consegui resumir tudo que aconteceu esses últimos dias. Bom resto de carnaval, se é que carnaval tem lado bom né mas ta ai, aproveitem pra dormir, ler um livro, ouvir música dar uma voltinha é bom.



ps: favor desconsiderar a falta de nexo entre as frases e os erros de digitação, ortograficos, gramaticais e etc, poderia até editar o post, mas to com preguiça ;)