quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Luzes de são paulo.

E ontem eu tava andando por são paulo justamente quando passei pelo pateo do colégio eu senti meus olhos ficarem úmidos, quando eu olhei pra cima e vi aqueles prédios antigos senti uma lágrima ou outra escorrer pelo meu rosto seguido de um aperto no coração, saudades? acho que sim, de quando ele ainda tava comigo, de quando ele vivia me fotografando, de quando ele pegava na minha mão pra atravessar a rua e dizia pra eu correr me chamando de bebê, quando ele dizia que eu era o seu maior tesouro, eu senti uma pontinha de felicidade quando essas lembranças me tomaram a cabeça, ao mesmo tempo em que eu assistia através do vidro molhado, as pessoas fazerem fila pra ver se conseguiam algo para enganar o vazio que sentiam no estomago, eu consegui sentir aquele mesmo vazio dentro do meu coração naquele exato milésimo de segundo e como se um vento do mês de junho tivesse passado por mim e levado aquela pontinha de felicidade embora como as folhas. Durante todo a excursão eu não consegui prestar atenção na decoração de natal dos lugares, eu prestava mais atenção naqueles prédios tão antigos que ainda se mantinham de pé, dai me veio um devaneio, pensei nas paredes daqueles apartamentos, se elas conseguissem falar aposto que teriam mil histórias pra contar. Não consegui achar muita graça em andar na paulista ontem, tava cheia, todas aquelas pessoas tirando fotos, eu conseguia me senitr sozinha ali e mais uma vez me bateu a saudade de andar do lado dele. Eu consegui pensar durante toda a noite no que eu teria de fazer daqui pra frente, por mais que isso não tenha ficado muito claro ainda, mas eu ja sei do que eu preciso pra fazer os meus planos ficarem concretos, eu só precisava de um poquinho de determinação. Quando eu conseguir a minha maior ambição, eu vou lembrar dele e agradecer em silêncio ja que não poderá me ouvir mesmo que eu grite o mais alto que eu puder. Enquanto eu puder, fazer os meus pequenos sonhos se tornarem realidade eu vou continuar respirando as lembranças que me restarem, apesar da falta de nitidez do rosto dele nas mesmas.