sexta-feira, 27 de junho de 2008

Hole.



Os olhos inchados, o coração surrado e o mundo não pára. Egoísmo trocado esse: o mundo não pára porque estou sofrendo e nem eu deixo de sofrer porque o mundo não pára.
Às vezes a gente se sente pequeno por elevar nossas angústias a níveis talvez mais importantes do que as mazelas sociais.
Mas, como se preocupar com o mundo quando dentro de ti há um buraco?